O que é o Ambientalismo de Mercado?

O debate ambiental tem sido conduzido tradicionalmente por grupos que utilizam frequentemente discursos de esquerda e que têm visões extremamente radicais relativamente à relação que o homem deve ter com o Meio Ambiente. Estes grupos defendem que os recursos ecológicos são por definição bens comuns, devendo consequentemente ser protegidos pela burocracia do Estado das mãos ávidas das empresas e individuais que podem destruir o equilíbrio ecológico a qualquer momento. Esta visão tradicional defende ainda que o Estado deve definir exactamente as quantidades de poluição e destruição que são aceitáveis, bem como cada empresa deve controlar essa poluição, chegando muitas vezes ao ponto de especificar os processos de fabrico porno que as empresas devem utilizar.

Ao olharmos em nosso redor verificamos terem existido sem dúvida progressos, derivados da aplicação da visão ambiental tradicional nos países desenvolvidos, principalmente em algumas áreas tais como a qualidade do ar ou a qualidade das águas, mas, existem também demasiadas áreas onde se está ainda muito longe de alcançar verdadeiros progressos e onde os ambientalistas, independentemente das suas posições políticas, têm permanentes razões de descontentamento.

O Ambientalismo de Mercado surgiu como uma resposta pragmática aos problemas ambientais que abalam a nossa sociedade no seu dia-a-dia, tentando compreender a raiz dos problemas e apresentando soluções que possam conduzir o egoísmo natural inerente a cada ser humano a contribuir para um melhor Meio Ambiente e não para a sua destruição.

Ambientalismo de Mercado é o termo utilizado para descrever as posições daqueles que acreditam que a defesa do Meio Ambiente é melhor alcançada pela defesa dos direitos à propriedade privada, por mercados competitivos, preços que incorporem os custos reais do produto e leis que responsabilizem aqueles que provocam danos à propriedade alheia. Só com um enquadramento descentralizado e flexível, que se enquadre na sociedade em que vivemos, é possível integrar e proteger os valores ambientais na nossa sociedade.

O Ambientalismo de Mercado representa um abandono radical das actuais políticas ambientais, baseando-se contudo em larga escala, no funcionamento da nossa economia de mercado e na aplicação do trabalho de economistas laureados com o prémio Nobel, como F. A. Hayek, Ronald H. Coase, James Buchanan e Milton Friedman.

Com a aplicação das teorias inerentes ao Ambientalismo de Mercado del porno italiano, uma grande proporção dos problemas ambientais iria se revolver por si mesmo, quer devido às pressões competitivas da Economia de Mercado, quer à busca do lucro por parte dos seus intervenientes, obtendo-se melhores resultados a nível ambiental do que aqueles que podem ser obtidos através da regulamentação estabelecida pelo Estado e optimizando a forma como se alcançam esses resultados, beneficiando assim a qualidade de vida de toda a população e retirando argumentos aos que criticam os ambientalistas por serem contrários ao desenvolvimento económico.